" placeholder="Header Code">
Você se sabota e sabe que pode ter um melhor rendimento nos estudos?

Você se sabota e sabe que pode ter um melhor rendimento nos estudos?

Você se sabota?

 

Provavelmente, você vai responder “não”, certo?
Infelizmente, a maioria de nós, em maior ou menor grau, somos pobres vítimas de nós mesmos, mas dificilmente o percebemos ou admitimos. 
Vamos lá, vamos ajudá-lo a descobrir se você sofre desse mal.
Assumindo que você já tem seu plano de estudos, sua agenda e sua rotina semanal de estudos planejada de forma realista e viável, responda para si mesmo:
- Você sempre estuda a quantidade de horas semanais que planejou?
- Você nunca falta e sempre chega às aulas sem atrasos?
- Você sempre vai dormir e acorda nos horários definidos?
- Suas pausas nos estudos nunca se transformam em longas interrupções?
- Seu horário de estudo nunca é substituído por um cochilo durante o dia, “uma jogadinha só” no PS3 ou XBOX, um telefonema para os amigos, uma voltinha na rua com alguém, um filme, um jogo de futebol na TV, uma cerveja, uma “deitadinha” no sofá que nunca dura só 5 minutos? 
- Você acha que fazer só um ou outro exercício já é o suficiente? 
Enfim, se você faz certinho todos os itens acima, parabéns! Sua disciplina e seu foco nos estudos são impecáveis e esse texto não é para você.
Caso contrário, saiba mais, nos próximos parágrafos, sobre esse processo do qual talvez você seja vítima: a auto sabotagem. 

 

Porque sentimos resistência?

 

Para toda ação existe uma reação, na mesma força e proporção daquela ação. A resistência vem como uma força opositora à tentativa do novo (e nós, seres humanos, naturalmente nos protegemos de algo novo). Esse mecanismo natural de proteção não tem a capacidade de discernir se o novo vai te fazer bem ou mal, ele simplesmente resiste, de forma inconsciente, assim como anticorpos reagem a coisas ruins, como organismos estranhos, ou a coisas boas, como um transplante de órgão. Mas é possível tornar esse mecanismo consciente, fazer dele um objeto para que você possa manipular essa resistência no dia a dia. Eliminar a resistência é impossível, pois é um processo natural. A única forma de lidar com a sua resistência de forma sábia e consciente é conhecendo-a, percebendo como ela se manifesta em você. O grande problema da resistência é a ignorância, não perceber que ela está ali. É preciso trazer a resistência para perto, reconhecê-la; quando a resistência se manifesta e você a percebe, isso é um bom sinal, pois significa que você está tentando algo novo!

 

Trabalhando suas resistências

 

Um dos primeiros passos nesse processo é saber identificar uma das principais maneiras pela qual a auto sabotagem se manifesta: as histórias que você conta a si mesmo para se boicotar quando começa a fazer alguma atividade. Cada pessoa procura um pretexto diferente com base em sua história de vida. Por esse motivo, a resistência pode se manifestar de formas diferentes, a depender da pessoa. Observe atentamente e reflita sobre como a resistência se manifesta em você. Os itens abaixo podem te ajudar nessa reflexão:
- Pense em algum momento da sua vida no qual você quis realizar algo: pode ser coisa simples, como ir à academia ou aprender a tocar um instrumento musical; pode ser também o seu objetivo atual de cumprir o seu plano de estudos. De que forma você resistiu a coisas novas que havia planejado fazer? Procrastinou? Decidiu que havia algo mais importante para fazer? Tornou o seu objetivo mais complexo do que realmente é? Deu alguma desculpa, como a falta de tempo?
- Pense nas formas de resistência que você identificou acima. Em quais situações elas já se manifestaram em sua vida? Elas estão se manifestando de novo agora, em seu objetivo atual de cumprir seu plano de estudos?
- Quais são as explicações que você se dá para justificar a sua falta de ação para cumprir seus objetivos?
- Como você se sente quando vê as explicações que você se deu, sabendo que são simplesmente manifestações de resistências?
- Com que frequência essas resistências se manifestam em sua vida? O que você já deixou de fazer por conta delas? Quais foram as consequências?
- Tendo em mente como as resistências se manifestam em você, lembre-se da última situação na qual você resistiu a algo. Qual foi essa situação? O que poderia ter acontecido se você tivesse percebido essa resistência? Reflita sobre como sua situação atual poderia ser diferente se você tivesse outra postura em relação a essa resistência. Será que uma transformação poderia ter acontecido se você soubesse como lidar com essa resistência?
- Faça uma lista de como as resistências se manifestam em você. Por exemplo: “Eu ligo a televisão para ver um episódio do meu seriado favorito antes de começar uma tarefa importante”, “Preciso olhar o Facebook antes de começar a fazer algo importante”, etc.
- Comprometa-se com ações para contra-atacar as resistências que você listou acima. Crie uma lista dessas ações de contra-ataque, por exemplo: “Quando eu perceber que vou ligar a televisão antes de fazer uma tarefa importante, vou apenas pegar um café, ir para outro ambiente e começar a minha atividade”, “Quando eu perceber que entrei no Facebook, vou desligar todas as notificações, fechar o aplicativo ou a página do navegador e começar a minha atividade”.

 

Ficou difícil fazer isso tudo sozinho?

 

 Não se preocupe, nós podemos te ajudar. Parte do serviço de Coaching para Vestibular oferecido pelo Personal Vestibulares foca com cuidado todas essas questões e muitas outras relacionadas ao processo emocional e didático característico dessa jornada que, como você sabe, pode ser tudo, menos fácil. 
Trabalhamos individualmente desde o andamento dos estudos até o gerenciamento dos medos e ansiedade. Mas esse é assunto para uma nova postagem.
Até lá!
Agora, de volta aos estudos! laugh


Curso pré Vestibular Personalizado em São Paulo é com o Personal Vestibulares